O amor pela fotografia

Tenho uma grande paixão por fotografia, tudo começou talvez desde pequena. De vez em quando tirava fotografias e fazia montagens com elas. Ao início as fotos pareciam exageradas. Gostava de tirar fotografias originais, e também gostava de filmar. Maior parte tirava fotografias a mim própria para ver se no computador conseguia pôr-me bonita. Sempre tive a ideia que as máquinas fotográficas profissionais (reflex) só eram acessíveis aos profissionais de fotografia. Sempre apreciei tudo o que era arte. Estive sempre atenta como eram as fotografias, que perspectiva tinham, as cores. Até que foi a minha vez de tirar fotografias. Uma vez, estava no 4º ano, tive uma visita de estudo ao jardim zoológico e eu queria levar uma máquina fotográfica para tirar fotos aos meus amigos e aos animais. Ao início foi complicado convencer à minha mãe, mas consegui levar. Mas a pensar no que a minha mãe disse " Cuidado com a máquina, olha que isso é para pessoas grandes". Realmente a máquina era pesada e grande (claro que era uma máquina antiga), mas naquela altura era talvez o topo de gama porque não tinha rolo. E gostei de tirar fotografias, e ainda hoje as tenho, porque foi um dia inêsquecível.

Ofereceram-me uma máquina digital já há algum tempo, e tirei muitas fotografias, mas faltava qualquer coisa, para mim tinha poucas opções.

Uma vez a minha mãe comprou uma máquina profissional, eu experimentei, mas pediram-me para ter tanto, mas tanto cuidado com aquilo que até tinha medo mexer na máquina. Daí, de vez em quando ia ver as opções da máquina, tirava umas fotografias e às vezes a foto ficava completamente preta e sempre ficava desfocada, então eu desisti. Aos 16 anos levei a sério, comecei a pesquisar imagens todos os dias, a toda a hora e via que aquela máquina que a minha mãe tinha era realmente boa. Entretanto, fui pesquisando sobre o ISO, a velocidade do obturador...numa viagem que fiz aos Açores foi um fotógrafo amador que é muito meu amigo (tinha uma máquina a sério) e curiosa fui ter com ele e perguntei tudo sobre a máquina e para que servia aqueles botões todos. Ele sempre muito simpático comigo falou sobre a máquina. Agora hoje, tornou-se o meu fotógrafo "privado" (porque só me tira fotografias). Depois algum tempo a tirar fotografia todos os dias e receber alguns elogios que me deixavam orgulhosa, a minha mãe ofereceu-me um workshop de fotografia na Gulbenkian (um sítio onde sempre gostei por ser um mundo de espectáculos e haver sempre estrangeiros) e foi para mim uma boa iniciação. Vou tentar participar em concursos e conseguir que as minhas fotografias sejam expostas em alguma revista.

 

Tenho fotografias nos OLHARES e no FLICKR

publicado por Inêsquecível às 12:59 | comentar