5 mil dólares

Estava nervosa, ansiosa e ao mesmo tempo contente. Depois de 4 meses iria ver o meu pai outra vez.

Recebi um abraço de saudade, mais nada.

Felizmente a minha prima estava por perto para fazer-me companhia, a casa estava recheada de pessoas da minha família e algumas vieram falar comigo. Estava sentada num sofá, à espera que o meu pai me desse pelo menos um olhar, ou um sorriso e sentir que sou filha dele. Mas nada disso aconteceu, havia ali uma grande distância entre nós, até porque ele nunca veio falar comigo no Skype quando estava em Angola, às vezes dizia-lhe um "olá", mas mostrava-se sempre desinteressado. Eu sempre gostei do meu pai, tentei perdoa-lo durante 4 anos, depois de tudo que me fez, principalmente à minha mãe. Não foi um divórcio fácil...Podia ao menos ficar contente, por o ter perdoado, de conseguir ser amiga dele outra vez, apesar de às vezes termos umas discussões mesmo desagradáveis. 

O meu pai deve muito dinheiro à minha mãe, não sei se ele recebe ou não. Não sei se devo acreditar nas palavras dele, tudo é muito confuso.

Como ainda sou considerada "menor", é obrigatório que ele paga as minhas despesas (pensão de alimentos, despesas de educação e da saúde). Mas como não paga, tenho que ser eu a dizê-lo. Ás vezes aviso-lhe, o pior é que não sei se é verdade ou é uma desculpa, mas não paga.

Ontem fez-me uma coisa, que me chocou. Isto dava para um filme.

Ele bem sabe que deve dinheiro, não sei porque me fez isto.

Durante aquela tarde inteira, não tinha falado comigo, só quando fui embora, ele chamou-me para ir ao quarto dele. Eu fui, já nascia ali uma felicidade porque o meu pai iria finalmente falar comigo.

-"Inês, tenho aqui 5 mil dólares em notas" Mostrando um calhamaço de notas com um elástico muito contente

-"hum...interessante."

-" Ainda tenho mais 15 mil dentro da mala."

(Ainda me dizia que não recebia nada...)

-"Muito bem."

 

Que raio de pai é este mostrar 5 mil dólares à filha sabendo que ele está a dever dinheiro?

E pronto, foi isto. Cheguei a casa, não falei com ninguém e instalei-me no computador a ouvir música.

publicado por Inêsquecível às 14:19 | comentar